Tendo atuado na área de engenharia consultiva por muitos anos, vinte dos quais participando da direção de grandes firmas projetistas de empreendimentos de infraestrutura, acostumei-me com a noção, herdada de meus sábios antecessores, de que os funcionários eram, como d...

Alertado por um amigo lí com prazer a bela cronica de Sylvia Colombo na Folha de São Paulo de ontem.

http://sylviacolombo.blogfolha.uol.com.br/2016/12/02/por-que-medellin-e-tao-especial/

Ao descrever a transformação da alma da cidade após a morte do supertraficante...

Simon Kuznets, um dos pais do indicador econômico agregado Produto Nacional Bruto PNB (que engloba o Produto Interno Bruto PIB) dizia nos idos de 1.930, época em que esses referenciais foram criados, que o bem-estar de uma nação ou cidade dificilmente poderia ser calcu...

Recente artigo da neozelandesa Ngaire Woods, professora de Governança Econômica Global na Universidade de Oxford, discute aguda questão política contemporânea, com foco nos países desenvolvidos: os eleitores, claramente cansados do status quo, querem mudanças nas lider...

A pungente foto – mais uma, dentre tantas que chocaram o mundo – publicada ontem pelo Estadão, traz à lembrança os terríveis números do drama sírio, quando se completam cinco anos do início da guerra.

...

Please reload

MINHA CRENÇA POLÍTICA



Sonho com uma sociedade que realize o ideal de justiça e de liberdade. Que não discrimine por motivo de sexo, raça, religião. Que liberte os que trabalham, empregados e patrões, quando submetidos a situações não dignas ou que os impeçam de produzir. Que permita a ascensão dos que hoje são obrigados a labutar na economia informal, repudiados por preconceitos. E que seja eficiente e moderna.

... Leia mais

Auriverde pendão de minha terra,

(...)

Antes te houvessem roto na batalha,

Que servires a um povo de mortalha!

                         Castro Alves

Posts em Destaque

Como estará o Brasil em 2022, no bicentenário?

February 22, 2017

1/4
Please reload

Arquivo
Please reload

De tudo ficam três coisas:

 

A certeza de que estamos começando,

a certeza de que devemos continuar e 

a certeza de que podemos ser

interrompidos antes de terminar.

 

Fazer da interrupção um novo caminho,

fazer do medo uma escada,

do sonho uma ponte e

da queda um passo de dança.

 

Fica, a certeza do reencontro, 

fica, o desejo de boa sorte e

fica a vontade de que

Lutes e venças!

 

                                     Fernando Pessoa

Posts Recentes
Please reload

Procurar por tags
Siga
  • Twitter Basic Square

Mario Eduardo Garcia   --     m.e.garcia@uol.com.br

Reflexões sobre políticas públicas, mobilidade e logística